terça-feira, 19 de maio de 2020

Vídeo - A História das Coisas (The Story of Stuff)

  Annie Leonard criou um vídeo na internet que virou sensação, o “Story of Stuff” (“Histórias das coisas”, em português), no qual relata que abriu dois computadores para ver o que havia de diferente dentro deles. Ela descobriu que é uma pecinha que muda a cada nova versão lançada. Contudo, a forma dessa peça também é alterada, o que obriga o consumidor a comprar um computador novo, em vez de apenas trocar a peça.

The Story of Sutff - A História das Coisas

O vídeo está disponível em vários idiomas, ative a legenda Português (Brasil).

No mesmo vídeo, Leonard lembra que, além da obsolescência programada, há também a obsolescência percebida, que “nos convence a jogar fora coisas que são perfeitamente úteis”. Isso acontece porque a aparência das coisas muda, os objetos ganham novas funções e a publicidade está em todos os lugares. Como afirma Dannoritzer, “muitas formas de obsolescência programada estão juntas. Na forma tecnológica pura, mas também na forma psicológica, em que um consumidor voluntariamente substitui algo que ainda funciona só porque quer ter o último modelo”.

A autora do “The Story of Stuff”, Annie Leonard, já mencionada neste texto, é ex-funcionária do Greenpeace e professora. O primeiro vídeo de sua série recebeu diversos prêmios e já foi visto por mais de 15 milhões de pessoas ao redor do mundo. Isso tudo rendeu um livro, que foi publicado em papel reciclado e impresso nos EUA com tinta a base de soja (mais ecológica). Em seu vídeo, Leonard diz que comprar produtos verdes e tomar banhos mais curtos, por exemplo, são os primeiros passos para alterar a realidade de consumo desenfreado em que vivemos. Ela diz que é preciso agir e pensar como um coletivo, demandando dos governantes, por meio do direito ao voto, leis mais sustentáveis e menos apoio a compras com cartões de crédito, por exemplo.


Leonard diz que a interação que teve com a audiência de seu blog a inspirou a fazer esse vídeo. Segundo ela, as respostas dadas pelas pessoas à pergunta "o que era possível para ter um mundo melhor?" eram individualistas - voltadas para o uso de ecobags, compra de produtos orgânicos e ter hábitos saudáveis, como andar de bicicleta. Para ela, essas são coisas boas a se fazer, mas o real poder está em agir em conjunto, como cidadãos engajados.
O filme foi lançado em 2007. O que era para ser apenas um vídeo, financiado por diversas fundações ambientais, deu origem ao projeto Story of the Stuff, uma organização sem fins lucrativos, com um orçamento de US$ 950 mil e uma equipe de quatro pessoas. O assunto do filme entrou no currículo das escolas e foi lançado um guia de estudo para igrejas intitulado "Let There Be … Stuff?".

Alguns criticam o vídeo, pois dizem que passa uma mensagem anticapitalista e apresenta apenas um ponto de vista. A essa acusação, ela responde: “Eu não sou anticapitalista, mas sim contra um sistema que nos envenena e protege o rico em detrimento do pobre”.
Leonard enxerga um legado positivo nas crises econômicas. “Quando há menos dólares para gastar, temos que pensar: 'será que realmente vale gastar o dinheiro daquele bico que fizemos no fim de semana para comprar esse carro novo? Ou aquele par de sapatos que está em promoção?”.

Fonte: https://www.ecycle.com.br/1721-obsolescencia-programada.html

Um comentário: